Antes da posse Bolsonaro censura a imprensa

O brasileiro sentirá muita saudade de Lula e do Partido dos Trabalhadores

 

Mesmo com todo ataque sofrido pela imprensa durante as gestões (e disputas eleitorais) petistas entre 2003 e 2014, Lula e Dilma respeitaram á constituição e abriram as portas do Planalto para entrevistas e sabatinas, de qualquer veículo, onde a imprensa tinha trânsito livre para o exercício da profissão, ainda que não fizesse um jornalismo imparcial,  pautado na verdade, na ética e no dever de informar.

Lula e Dilma sabiam que a imprensa acusava, demonizava, tripudiava, mas recebia a todos. Lula e Dilma recebiam no salão do Palácio não só a imprensa, que tinha livre acesso, mas todos os movimentos sociais, empresários, banqueiros, dando exemplo de democracia plena, republicanismo e respeito à constituição. Negociavam com estudantes, professores, caminhoneiros, sem terra, índios, quilombolas, sem distinção social, de credo, cor ou ideologia.

Censura

Bolsonaro nem tomou posse e já censura a imprensa. Os párias a seu serviço dizem que é “por questões de segurança”, que Bolsonaro corre risco de sofrer “novo atentado”, e que a segurança está redobrada em função dessa ameaça, que eles não dizem qual é. Por que os senadores e deputados, ou até mesmo a imprensa não abre uma sabatina para apurara detalhes sobre essa suposta “ameaça”?

Mentira, tudo para justificar a censura que acaba de ser instalada no Brasil a partir da eleição fraudada de Bolsonaro. A mídia golpista criou esse monstro, agora embale e alimente, que o menino é guloso.

Polícia Federal manda cinegrafista da Globo apagar as imagens de Bolsonaro

Congresso veta acesso de jornalistas ao plenário em solenidade que marca volta de Bolsonaro

Seja o primeiro a comentar